sábado, 8 de fevereiro de 2014

Soprando o Cartucho - New Star Soccer

Jogar video game é um hábito que já foi muito discriminado em nossa sociedade. Há poucos anos atrás (até em minha infância, que não faz tanto tempo assim) muitos nerds, como eu, que gostavam de video game eram tachados de... bem... nerds. Mas em um sentido pejorativo, como se fosse algo de errado salvar o mundo contra monstros interdimensionais.


Bem, os tempos mudaram e os jogos se popularizaram. O faturamento da indústria dos games superou o da indústria cinematográfica com folga, em grande parte graças aos smartphones (quem nunca jogou Candy Crush que atire a primeira pedra!). Agora é fácil de jogar no metrô, na fila do banco, no troninho.

E a febre do momento (pelo menos pra mim) é o New Star Soccer!


Para os leigos, não é um jogo de relatório tipo Championship Manager (que também é fantástico). Você faz o seu jogador e controla ele nos lances importantes da partida. Vai melhorando as habilidades, comprando chuteiras melhores, construindo uma carreira de jogador podendo jogar até a Copa do Mundo. Você tem que gerenciar o seu relacionamento com os fãs, com a equipe, patrocinadores e até com a sua namorada.

É bem divertido, mas, como todo joguinho de celular, tem aquelas coisas que você só consegue se pagar com dinheiro de verdade. Por exemplo, no início da carreira você começa em um timeco de segunda divisão. Para poder se transferir para outro clube tem que comprar a licença pro, que é até barata (cerca de R$2), mas né... Se for comprar todas as coisinhas do jogo que custam R$2, daqui a pouco já gastou uma fortuna.


Você, que sempre quis ser jogador de futebol, mas não consegue fazer mais de 5 embaixadinhas (\o), vai dar uma conferida. Deixa eu ir agora que é Chelsea e Barça na final da Champions League e eu sou o astro dos Blues!