quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Fazendo as Malas - Belo Horizonte Parte 1

Se você gosta de viajar e mora na região Sudeste, eu tenho uma dica: vá para Belo Horizonte. Eu sei que a princípio pode parecer estranho ir fazer turismo na capital mineira, mas eu garanto que você vai se surpreender! Primeiro porque viajar é sempre bom, (quase) não importa o lugar; segundo porque a passagem é muito barata (sempre tem promoção - eu paguei menos de R$130 para ir e voltar de avião + taxas); terceiro porque é pertinho (menos de uma hora de voo), então dá pra ir em um final de semana; quarto porque a cidade é muito bacana e tem restaurantes ótimos!

Ficamos hospedados em um hotel bem perto do Mercado Municipal, o que foi ótimo em termos de transporte. De lá pega-se ônibus para tudo que é lugar com muita facilidade! O hotel era bem simples, o quarto e o banheiro eram mínimos, mas o valor da diária compensava. Tinha um café da manhã bem gostoso, o que conta bastante para mim. Em resumo, é exatamente o tipo de hotel que atende minhas necessidades: me oferece o mínimo de conforto no curto período de tempo que eu fico lá (dormindo) enquanto me cobra uma diária com um valor justo. Pra quem se interessar, o hotel é esse aqui: Hotel Mosaic

Como boa mão de vaca que sou, também não pegamos táxi do aeroporto até o hotel. Tem uma opção bem mais econômica para quem chegar pelo aeroporto de Confins (que fica bem longe do centro da cidade): o famoso ônibus executivo. Aliás, não tem uma viagem que eu faça que eu não vá correndo procurar saber se o aeroporto me oferece essa opção! Vale muito a pena! Os ônibus em geral são super confortáveis, o preço é bem vantajoso e, como não é um ônibus de linha normal, são bem rápidos. Nesse caso saltamos na rodoviária (bem no centro da cidade) e fomos caminhando com as malas até o hotel.

Como o voo foi pela manhã, chegamos bem na hora do almoço e morrendo de fome! Deixamos as malas no hotel e corremos para o Mercado Municipal, passeio obrigatório na cidade. Comidas e artesanatos típicos, chopp bem gelado da Backer e uma paradinha no quiosque de informações turísticas que me garantiu mais uma economia: eles dão postais para os turistas gratuitamente, que escrevem ali mesmo e depositam em uma urna para serem enviados 0800! É verdade que os postais demoram bastante para chegar, mas é de graça, né? 

Ah, uma dica importante de BH: eles não dão sacolas plásticas quando você compra algo, então andar com uma ecobag para cima e para baixo é essencial!

Alimentados, fomos até o Parque das Mangabeiras. Aliás, se tem algo que me deixa muito triste com o Brasil é a quantidade de atrativos mal aproveitados. O parque é muito bonito, mas estava mais vazio que pastel de queijo no china! Tive a impressão de que éramos os únicos visitantes naquela tarde (será possível?).

Morador do Parque das Mangabeiras

Linda queda d'água do parque
De lá andamos e nos perdemos dez vezes até chegarmos a Rua do Amendoim: a famosa rua onde os carros, desligados, sobem a ladeira! A água derramada na calçada escorre para cima! Como é possível? Só BH pode responder...
Placa que indica exatamente onde você deve fazer seus experimentos científicos!
E como Belo Horizonte é famosa por suas cervejas e o happy hour já estava chamando, fomos para o Stadt Jever, o bar da Wäls. Depois de alguns choppes deliciosos (dubel, tripel, petrolium e witte) e uns petisquinhos, foi hora de seguir a peregrinação dos bares.

Salsichão alemão no Stadt Jever

Espécie de kibe SUPER APIMENTADO!

Petrolium e Witte
Dubel e Tripel
Krug Bier é a empresa que fabrica a cerveja Áustria e eu fico triste em dizer que seus chopes me decepcionaram...

Para terminar a noite com estilo, passamos em um pub, o Duke'n'Duke. Pedimos uma Guinness e um hambúrguer que se tornou a melhor surpresa da viagem: acho que eu nunca tinha comido um hambúrguer tão gostoso! E as batatas dão água na boca só de lembrar!
Com chope Guinness não tem como errar, não é mesmo?
Melhor hambúrguer do mundo: feito com Guinness!
O mais legal é que a gente só entrou no pub porque o ônibus estava demorando muito para passar e ele estava bem ali, em frente ao ponto. Há males que vem para o bem!

Hora de terminar a noite e descansar um pouco no hotel para o dia seguinte, que fica para outro post!

Confira a parte 2 e a parte 3!