terça-feira, 19 de agosto de 2014

Fazendo as Malas - San Andres Parte 3

Confira antes a parte 1 e a parte 2!

Isso é o sol nascendo!
Madrugamos ansiosos pelo passeio para Cayo Bolívar, mas, por conta da maré, acabamos tendo que adiar os planos... O problema todo é que esse passeio sai bem cedinho, 7h, enquanto os outros só la pras 8h30. Resultado: quase duas horas sentados esperando o tempo passar na marina.

Cachorrinho que nos fez companhia enquanto esperávamos sair outro passeio
Optamos por fazer o combo Aquario + Johnny Cay, com a Portofino. Os preços de todas as empresas são bem parecidos (para não dizer iguais) e esta parecia a melhorzinha, com barcos mais novos e bem mais funcionários. 

Quando finalmente conseguiram juntar um grupo para fechar uma lancha, partimos em direção a Rose Cay (ou El Acuario).

Finalmente!
O trajeto é bem rápido, menos de 10 minutos. A hora da descida da lancha é que é engraçada! Os mais magrinhos e mais jovens não encontram problemas, mas tem gente que sofre para conseguir sair do barco, já que não tem nenhum tipo de píer. 

Quando, finalmente, todo mundo desceu, nosso guia nos levou para uma espécie de lanchonete e deu as explicações. Lá poderíamos alugar um armário e, se necessário, snorkel. Eu e o Lucas já tínhamos trazido do Brasil, então só deixamos as coisas no armário e fomos pro mar. 

Para quem quiser, eles também oferecem um passeio em um barco com o chão de vidro, para apreciar a vida marinha (principalmente as mantarrayas). A gente achou que era besteira perder tempo (e dinheiro) dentro do barco quando poderíamos estar dentro do mar e nem ouviu toda a explicação quanto a isso.

Corremos em direção ao mar! A água é deliciosa, são MUITOS peixes! O único porém é que você tem que tomar cuidado com as pedras. 

MUITOS peixinhos!
Aqueles são os barcos com fundo de vidro
Nadamos, brincamos, nos divertimos e resolvemos explorar a outra ilha, Haynes Cay. Você chega lá andando pelo mar!

Vista de Haynes Cay a partir de Rose Cay
Vista de Rose Cay a partir de Haynes Cay. Dá para ver as pessoas atravessando de uma ilha a outra a pé!
O local é bonito, mas não tem muita coisa para fazer. Como já estava quase na hora de pegarmos nosso barco novamente, retornamos para Rose Cay.

A hora de subir na lancha é ainda mais cômica. Os homens se viram sozinhos, mas a mulheres são praticamente levadas no colo! Particularmente, achei muito desconfortável e acho que seria bem mais cômodo se fizessem uso de uma simples escadinha.

Com todos a bordo, rapidamente fomos para Johnny Cay. Ao chegar tivemos que pagar uma taxa ambiental de 4.000 pesos (imagino que quem paga um pouco a mais pelo passeio já tem esse ingresso incluído) e já fizemos a reserva do almoço (20.000 pesos por um prato de peixe, arroz de coco, banana frita e salada). Também aproveitamos e alugamos um armário para deixar as coisas.

Enquanto esperávamos a comida, demos uma volta pela ilha, onde encontramos várias iguanas e lagartinhos!




Fomos comer e aproveitamos para pedir uma limonada que, atrevo a dizer, foi a melhor da minha vida!

Resolvemos dividir, pois não estávamos com muita fome, e foi o suficiente.
Uma coisa que eu senti falta durante a viagem toda é que em San Andres não existem petiscos como estamos acostumados. Não tem isca de peixe, porção de camarão ou qualquer coisa do tipo. Eles só vendem prato de comida e é sempre a mesma coisa: arroz de coco, banana frita e algum peixe.

Alimentados, ainda continuamos explorando a ilha (mas desta vez pela água, não por terra) até resolvermos simplesmente deitar na canga e relaxar.


Esmalte azul para dar mais um tom para o mar de San Andres!

Quando deu umas 15h, fomos atrás do barco para retornar e devo dizer que é bem complicado. São várias empresas, inúmeros barcos e uma fila chata, mas no final dá tudo certo!

O barco nos deixou na praia do centro, o que foi ótimo. Ainda era dia e o comércio fica todo naquela região. Como não tínhamos comido muito no almoço, aproveitamos para ir atrás de um lanchinho.

Melhor picolé do mundo: sabor cheesecake! E ainda vem com biscoito esfarelado na parte de baixo!

Lucas permaneceu fiel ao Valdez!
Ainda ficamos na praia até o sol ir embora, andamos pelo centro e, finalmente, fomos jantar! Escolhemos um dos lugares mais tradicionais da ilha, o Café Café. Eu pedi logo uma limonada de coco e adorei! No lugar da água eles usam água de coco e a combinação é uma delícia! Para comer pedimos uma pizza que estava ótima também!

Limonada de coco: cremosa e deliciosa!
Preço justo e comida gostosa!
Satisfeitos, retornamos para o hotel e fomos descansar para tentarmos novamente ir para Cayo Bolívar no dia seguinte.

Confira também a parte 4!