terça-feira, 11 de março de 2014

Pipoca na Panela - Indie Game: The Movie

Eu adoro videogames. Essa geração do PS3 foi a única que eu realmente acompanhei "ao vivo" e, realmente, foi uma experiência fantástica (você, que não liga pra isso, deve estar me achando um idiota agora). Muitos jogos entraram pro meu Top 10.


A grande vantagem dessa geração e do crescimento da indústria acabou se revelando um pequeno problema também. Os projetos muito ambiciosos, com enredos grandiosos, trilhas sonoras bem elaboradas e tudo o mais foram um marco na história dos videogames. A questão é que eles fizeram tanto sucesso que o mercado foi ficando cada vez mais pasteurizado. A maioria dos grandes estúdios tentava se encaixar nesse molde. E foi nesse vácuo que os jogos independentes (ou indie) brilharam, alavancados pela popularização do Steam.

"Braid", uma verdadeira obra de arte.

Eu fui atraído, como muitos outros, pelas novas propostas e jogabilidades dos jogos indie, assim como o look estilizado, diferente daquele realismo quase obrigatório que os títulos mainstream praticam. Fiquei tão fascinado com essas novas possibilidades que não resisti quando descobri esse documentário.

"Super Meat Boy", arcade muito divertido e, ao mesmo tempo, muito irritante!

"Indie Game: The Movie" vai muito além dos jogos indie, somente. Ele se concentra em 4 desenvolvedores, mostrando os seus medos e inseguranças; o stress que eles passam tentando cumprir os prazos; os sacrifícios que eles têm que fazer para completar um projeto em que apostaram todas as fichas; as repercussões de seus trabalhos, tanto online como em sua vida pessoal. São pessoas sensíveis, que encontraram na programação a sua arte, a sua forma de expressão.

"Fez", jogabilidade muito diferente.

O filme já ganhou alguns prêmios por aí, o que é muito impressionante, considerando o fato de que foi feito basicamente por duas pessoas, com financiamento do Kickstarter. Ele está disponível no Steam por R$16,99 e ainda conta com uma "expansão", que mostra cenas adicionais e os rumos dos personagens depois do documentário.

É claro que, para quem é gamer, o filme tem um gostinho diferente. Mas mesmo aqueles que não costumam jogar acharão difícil não se encantar com essas histórias tão humanas.